segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Deus e o livro "A Cabana”


Quero começar esta semana que antecede a estação do ano que mais gosto, a primavera, falando de Deus e minha experiência com o livro "A Cabana” de Willian P. Young.


Eu sou católica e desde muito criança freqüentava as missas com minha avó, fiz catequese, crisma e pagava o dízimo, cumpri todas as formalidades exigidas pela minha religião, porém tem uma coisa que não me ensinaram... VIVER DEUS VERDADEIRAMENTE!


Não sei se é porque a cidade que nasci era de interior, o que torna a mente dos dirigentes religiosos um tanto quanto obsoleta, na verdade não sei esta resposta só sei que lá aprendi que Deus era um ser vingador e que precisávamos ter medo e andar na linha. 


Eu sempre fui cheia de perguntas, sonhos, não conseguia entender que Deus era aquele. As catequistas e padres não tinham preparo algum para encher de Deus o coração de uma menininha. Tenho um primo-irmão que teve paralisia infantil quando bebe, eu não conseguia admitir porque Deus era tão injusto, todos nós brincávamos no sitio da minha madrinha e ele ficava por perto e não podia correr. Minha cabeça se enchia de dúvidas. O que eu ou meus outros primos éramos melhor que ele para poder correr e ele não?


Durante minha adolescência me apeguei a leitura (sou completamente apaixonada por livros) e fui criando minhas próprias crenças sem ter como base uma religião exata, e sim um pouco de cada uma. Senti que meu contato íntimo com Deus ficou um pouco melhor. Comecei a acreditar que a vida não acabava por aqui e sendo assim Deus não era tão injusto assim, acreditei que a responsabilidade das coisas darem certo depende única e exclusivamente do que plantamos, que o mundo é movido de energia e que só conseguimos altera-la pelo que pensamos, pagamos com o retorno o que de errado fazemos e que Deus é luz. Conheci a renovação carismática da Igreja Católica e me sinto muito bem cheia de Espírito Santo e com as palavras mais usuais e modernas lá apresentadas, mesmo assim continuo com as crenças adquiridas no decorrer da vida.


Poucos meses atrás fui apresentada ao livro "A Cabana”, devorei ele em dias e só posso garantir uma coisa, Deus me tocou fortemente através desta leitura. Eu ria e chorava, sentia cada palavra, relia e tudo mudou dentro de mim, Deus começou a ser muito, muito, muito misericordioso para minha vida, e minha conversa com Ele começou a ser algo de dentro de mim. Eu não precisava estar enquadrada em qualquer religião ou comunidade para sentir o Seu afeto e aprendi que na vida só existem dois caminhos para seguirmos: Independentes ou com Deus. Fazemos esta escolha todos os dias, todos os minutos.


Sabe, vou confessar uma coisa, fomos educados a ter o controle da situação de nova vida, é difícil ter um problema e apenas relaxar, ter bons pensamentos e entregar nas mãos de Deus, mas experimente fazer isso apenas uma vez! É DIVINO! Deus nos fala aos ouvidos todos os minutos do dia, basta a gente conseguir ouvir. Fala-nos através dos amigos, dos estranhos, de uma leitura e NADA é por acaso.


Ainda cambaleio nessa nova maneira de agir e pensar, esqueço, me preocupo e às vezes até sinto raiva e quando lembro da bondade de Deus tudo parece ficar mais leve. Confesso que minha vida tem se tornado muito mais próspera e eu muito mais completa.


Na verdade "A Cabana" foi um veículo fantástico de interiorização, mas tenho a indicar outros livros que complementam este, um deles é o "Conversando com Deus" e o outro é a "A Profecia Celestina" e "O Segredo" (este é o mais popular). Sinceramente, para mim todos estes livros se complementam com assuntos distintos, porém chegam ao mesmo lugar.


Lógico que não podemos jamais esquecer da máxima dita por Jesus "Orai e vigiai, para não cairdes em tentação". - Jesus (Mateus, 26,41). Não importa sua religião, todas têm suas peculiaridades e se Deus nos fez diferentes, pensantes e nos presenteou com o livre-arbítrio seria impossível toda a humanidade pensar igual, sentir igual ou acreditar nas mesmas coisas. Por este motivo acho uma perda de tempo discutir religião, todas para mim são válidas desde que te faça ter DEUS no coração e na rotina, fazer o bem é uma linguagem universal. Paciência durante as provações da vida não são atitudes apenas de Jó, é uma lição bíblica para todos.


“A Cabana”, me fez pensar em mim como pessoa, em mim com relação a Deus, fez eu me descobrir e Deus estava o tempo todo muito mais perto do eu buscava, estava DENTRO DE MIM. O mais inefável é que há tempos eu venho buscando me descobrir, me definir, me encontrar. Não tenho mais vergonha de ser eu mesma, Deus me fez assim. Não tenho mais vergonha de mudar paradigmas, eles foram feitos para serem quebrados e assim evoluir nossa alma.


Dificuldades sempre teremos, e que estas sirvam de alavanca a nossa subida, de formão para talhar a madeira da nossa vida e de escultor para esculpir a bela obra de arte da nossa alma.


Beijos a todos e ótima semana!



 Sinopse de "A Cabana"


O livro trata-se da história de Mack Allen Phillips, um homem que vive sob o peso da experiência de ter sua filha mais nova Missy, de seis anos, raptada durante um acampamento de fim de semana, no mesmo momento em que conseguiu salvar a vida de seus dois filhos mais velhos ao caírem de um barco. A menina nunca foi encontrada, mas sinais de que ela teria sido assassinada são achados em uma cabana perdida nas montanhas.
Vivendo desde então sob o que ele chama de "Grande Tristeza", Mack, quatro anos depois do episódio, recebe um misterioso bilhete supostamente escrito por Deus, convidando-o para uma visita a essa mesma cabana onde o vestido de Missy foi encontrado. Ali, Mack terá um encontro inusitado com Deus, de quem tentará obter resposta para a inevitável pergunta: "Se Deus é tão poderoso, por que não faz nada para amenizar nosso sofrimento?".


Opinião particular: Impossível terminar a leitura sem ter grandes respostas para grandes perguntas. Impossível não acreditar que Mackenzie não encontrou a Trindade naquele fim de semana na Cabana. Mackenzie mudou sua vida drásticamente para bem sem nem um esforço apenas mudando sua forma de pensar e chefia hoje Projeto Missy. Leia, você vai agregar muita coisa boa a sua rotina e tirar suas próprias conclusões...

4 DEIXE SEU COMENTÁRIO CLICANDO AQUI!!!:

WALMOR RIBEIRO FILHO disse...

Eis o Grande Mistério da fé.
Em alguns tão a flor da pele, em outros nem tanto.
Porém esta leitura instintivamente seja qual for a nossa crença, nos faz viajar através do mistério a partir de onde foi criada a nossa fé.
Sem duvidas muitas perguntas não obteremos respostas tão precisas, mas por outro lado nosso voo que atrasou, algo esquecido em casa, aquele minuto que nos descuidamos e algo de muito ruim não ocorreu.......eu acredito que neste momento PAPAI, JESUS E SARAYU estão a nossa volta nos deixando por mais tempo na terra.
Gostei muito de sua abordagem.
Um grande Beijo.
Te Amo

Andréa disse...

maravilhoso este seu pensamento achei incrivel!!!!fico feliz por vc.
andrea regina

angela disse...

Da pra ver sua paixão por ler e seu amor por este livro em particular e é compreensivel pois lhe trouxe mudanças na alma.
Seu texto é bom, facil de ler e bem articulado.
E Como disse o Dalai lama quando inquerido sobre qual a melhor religião: "É aquela que te deixa-lo uma pessoa melhor"
beijos

Vane Aguiar disse...

Olá Agnela querida, realmente este livro me deixou marcas como alguns outros, reformularam meu jeito de pensar e me fizeram mais feliz e com menos mazelas na alma...

Obrigada por sua visita
Achei o seu cantinho uma fofura, vou visita-la muitas vezes com certeza!

Abraços enormes

Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br