sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Adote um animalzinho!

Sabe que tem uma coisa que eu levanto a bandeira, porém só tive condições de fazer isso 1 vez na minha vida mas com certeza faria mais 10 vezes se tivesse condições.


Adotar um animalzinho



Na primeira vez que adotei um bichinho de rua eu tinha 16 anos e foi escondido da minha mãe, quando ela viu a linda BABI já morava no meu quarto fazia 2 semanas. Quanta alegria! A BABI era muito inteligente, ensinei-a uma vez só a dar a patinha e ela sempre que me via dava sua patinha com charme. Uma fofa!



Infelizmente minha vida deu uma guinada diferente neste tempo, eu morava em Curitiba e tinha dois empregos, com isso eu nunca estava em casa, apenas aos domingos (e podreeee...). Penso que se eu tivesse conseguido me dedicar a ela um pouco todos os dias seria uma cachorrinha daquelas que só falta falar. Tinha os olhinhos “pidão” e tenho dor no coração até hoje ao lembrar dela...




Uns anos mais tarde minha mãe resolveu mudar de casa e eu já estava com planos de voltar para Santa Catarina, com isso encontramos um outro lar para a nossa Babi. Incrível, na manhã em que fomos levar ela até a casa dos novos donos ela já acordou agitada, no carro ela subia no meu pescoço e com os olhinhos com lagrimas parecia querer entrar dentro de mim. Se ela pudesse falar naquele momento com certeza diria “Por favor, deixe-me ficar com você”. Só Deus sabe quanto foi difícil aquela despedida. Ninguém venha me dizer que os cachorros não sentem, porque sentem TUDO que esta a volta deles, tem intuições, só não conseguem falar com palavras, apenas com os olhos. Sabe, eu choro sempre que me lembro deste dia e penso que se eu tivesse naquele momento uma vida mais calma poderia ter me dedicado muito mais a ela, ela merecia mais que o básico da minha atenção.




Infelizmente a Babi não durou muito tempo, foi ficando triste até morrer na casa dos novos donos. Vocês não sabem como isso me dói profundamente, eu não tinha condições de ficar com ela, porém ainda carrego a culpa!




Estou contando tudo isso porque ontem encontrei um blog que chama MÃE DE CACHORRO TAMBÉM É MÃE (até já coloquei o selinho do blog aqui), é uma ação maravilhosa com textos muito bem escritos de uma garota apaixona por cães como eu. E ela me fez lembrar da Babi!
Vi este vídeo no blog dela e chorei... Aliás, a campanha da Pedigree esta muito linda, inclusive chorei quando vi o comercial na TV pela primeira vez.





O comercial... (que me emociona sempre)


Por experiência própria tenho a dizer-lhes, adotar um cãozinho é muito bom, eles são adoráveis, espertos e muito interessados em dedicar amor aos novos pais, merecem uma casa 
cheia de carinho!

Porém adotar não é apenas pegar e largar no pátio... por favor!!! Adotar é ser mãe e pai, é dar carinho, é levar no veterinário, dar vacinas, educar e, principalmente, DAR MUITO AMOR!

Por isso, MÃE DE CACHORRO TAMBÉM É MÃE!


...é uma responsabilidade muito recompensadora! Cães são enviados de Deus para que nossa vida fique mais leve, para que a gente entenda o que realmente é lealdade e perdão. As crianças nascem, crescem e evoluem em busca da descoberta do mundo, os cães evoluem na descoberta 
do NOSSO mundo, é quase egoísta o que digo, porém totalmente encantador. Aprendemos muito com essas almas iluminadas!



ADOTEM!
Em outro post conto para vocês sobre o Aroldo e a Bela! 
(... isso dá uma baita post porque são duas figuras cheeeeeias de histórias)

Abraços

6 DEIXE SEU COMENTÁRIO CLICANDO AQUI!!!:

Paulo Braccini disse...

Acho dígna sua contextualização ... em vez de ficarem comprando cães caros e cheios dos não me toques os cãezinhos "vira-latas" são realmente os mais delicados e sensíveis ... e mais ... adotar é ter responsabilidade ... parabéns ...

PS: palavra de um veterinário ... risos

bjux

;-)

Vane Aguiar disse...

Nossa Paulo, que bacana! Não sabia que vc é um veterinário. Só podia cuidar de bichinhos, são almas iluminadas e com certeza já contagiaram a sua tbm!

Lembrei tão forte sobre a Babi que chorei muito escrevendo, ela era muito especial!

Abraços

Raspberry disse...

Meu Deus que lindo post! Me emocionei quando você contou como foi o momento da separação! Do jeitinho que a Babi olhava...olhinhos cheios de lágrimas. Concordo com o Paulo! Nada melhor do que um vira latinha que corre, brinca, se suja, faz bagunça pela casa toda, que te ama, que demonstra esse amor com muita energia e afeto! Esse comercial da Pedigree...da primeira vez que eu assisti confesso que chorei...Quando que eu me mudar, vou correndo arrumar um cachorrinho assim pra mim! Muito obrigada pela visita e pelos elogios. Celulares...sauhsahusauh gosto muito quando eu consigo usar eles para ME COMUNICAR! Ultimamente achar um que faça isso por mais de um ano sem dar pau é impossível!ashuaushsuh
Quero que saiba que estou com você na luta pela defesa dos animais!!!!!! Beijos! Continue assim!!!

Vane Aguiar disse...

Querida Raspberry, aqui estou eu chorando novamente! Sou completamente apaixonada por bichos e acho que não pode funcionar como na Índia (castas...raças) quem tem raça se da bem. Os vira-latas são muito especiais...eu tbm preciso me mudar para ter um, mas sei que vai acontecer em breve. Hoje tenho a Bela (uma poodle doentinha, tem a bacia deslocada) e o Aroldo um passarinho brincalhão que fica solto da gaiola, pela cabeça da gente... prometo que vou fazer um post contando destes dois maladrinhos.

O Aroldo faz cada coisa.. ele era um vira-lata bebe que caiu do ninho e eu achei, alimetamos e ele sobreviveu. Hoje é a luz da nossa casa!!!

Obrigada pela visita!

Ana Corina disse...

Oi querida, adorei o post, obrigada pelos comentários e por ajudar com a educação das pessoas sobre a causa dos animais! Beijoooo.

Vane Aguiar disse...

Ana, seu blog me inspirou muito!!!
Obrigada por me visitar

Beijocas

Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br