quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Me apresentando...


Olá pessoal!

Primeiro quero me apresentar, sou uma menina de 26 anos, cheia de sonhos, designer e gosto de me desvendar aos poucos! E foi este o meu intuito em começar este blog, colocar para fora coisas que explodem dentro de mim como um vulcão em plena erupção, assuntos os quais imagino que muita gente também sinta, coisas certas, coisas erradas, cabíveis e incabíveis, instintos insanos, dilemas, sentimentos bons e exteriorizar TODOS estes sentimentos é o melhor remédio nos dias de hoje, com esta rotina que nos engole pelas pernas e este mundo muito materialista e pouco sentimental, só temos tempo para trabalhar, e trabalhar e trabalhar...

Não se preocupem que este não será mais um “bloguezinho” sentimentalista e cheio de xororô, quero tratar problemas concretos, os quais enfrento, enfrentei, enfrentaram, ou ouvi falar ou minha vizinha enfrenta. Quero dizer o que sinto, quero ouvir o que outros sentem, quero pesquisar e postar sobre estes sentimentos e aprender muito neste novo divã.

Não sei se despertarei muitos interesses, não tenho muita pretensão, o caso é que escrevo muito desde muito novinha, aprendi a me defender do mundo assim e exteriorizar coisas que apenas me competem e não medir palavras e nem ter vergonha. Escrevo (e escrevia) grandes relatos sobre meus sentimentos bons e ruins e hoje tenho um punhado de agendas e folhas amarelas as quais me fizeram muito bem foi minha psicanálise solitária, ainda mais para uma filha única de pais separados (de separação traumática) com certeza foi fundamental para meu fortalecimento sentimetal e criar meus próprios paradigmas. Como disse Augusto Cury no livro Nunca desista dos seus Sonhos, estes relatos incessantes, esta maneira de exteriorizar os sentimentos e criticá-los (veja bem, criticá-los é a parte mais importante para reescrever sua historia) chamam-se “A mesa redonda do EU”. E eu garanto... dá certo! (...em outro momento vou postar mais coisas sobre isso).

Em um artigo bem bacana neste site, Rosemeire Zago fala que escrever sobre os sentimentos equilibra a emoção. E como equilibra! Você já tentou?

Rosemeire Zago ainda afirma em seu Diário das Emoções que os sentimentos e emoções afetam todo nosso organismo como todos nós sabemos (lembram das doenças psicossomáticas?). Como não é algo que podemos visualizar, é abstrato, muitas vezes temos dificuldade em identificá-los ou entendê-los e assim, organizá-los. Sentimos angústia, cansaço, uma grande confusão que nos impede até de pensar e, fugimos. Não queremos pensar e muito menos enfrentar, ainda que inconscientemente. Mas logo a angústia insiste em retornar como se fosse para nos lembrar que há algo mal resolvido dentro de nós.

Nesse momento, muitas vezes, o melhor amigo poderá ser um papel em branco, é isso mesmo, uma folha onde você poderá escrever tudo o que sente, sem julgamentos. Quando você escreve o que sente, permite uma conexão com você mesmo e com tudo aquilo que você tem de mais valioso: seus sentimentos. Ainda que ninguém os respeitem ou considerem, você deve respeitá-los e acima de tudo, ouvi-los.

Exteriorizar os sentimentos é o que há de melhor e aqui você pode tudo, não precisa se identificar se não quiser... apenas tente! Alivie sua alma e depois me conte tudo...

Sejam bem vindos...

Grandes abraços!

0 DEIXE SEU COMENTÁRIO CLICANDO AQUI!!!:

Related Posts with Thumbnails
BlogBlogs.Com.Br